segunda-feira, 26 de março de 2012

Crítica: Next (2007)



FICHA TÉCNICA

Título Nacional:
Next - Sem Alternativa
País Origem: EUA
Realizador:  Lee Tamahori
Género: Acção / Ficção Científica
Duração: 96 minutos

Trailer










Cris Johnson (Nicolas Cage) tem um pequeno espectáculo de magia em Las Vegas, que usa como disfarce para o dom que realmente possui. Cris tem o dom de prever o seu futuro, mas não o consegue fazer além de dois minutos. Uma Agente do FBI Callie Ferris descobre Cris, e procura-o para que este a ajude a impedir um ataque terrorista que está prestes a acontecer na cidade de Los Angeles. Cris enquanto é perseguido pelo FBI e pelos terroristas, vê-se num dilema, salvar quem ama ou salvar o resto do mundo. 


Quando olhei para o cartaz deste filme não pude deixar de ver o forte elenco que o constituía, e de pensar para mim que este filme não poderia ser assim tão mau como diziam, mas depois de o ver posso afirmar que é um filme muito fraco e que deixa muito a desejar. Infelizmente Nicolas Cage, Julianne Moore e Jessica Biel não conseguem salvar este filme, com interpretações muito aquém do que se lhes reconhece, nomeadamente Nicolas Cage que volta a estar mal e a ser protagonista num filme medíocre, algo que tem vindo a ser hábito nos últimos anos. O argumento deixa muito a desejar, com diversas falhas na sua construção, onde entre outras coisas não nos dá resposta a algumas situações que se passam no filme, e sem falar do seu final, que quase deita por terra todo o conceito deste. Outra aspecto negativo são os efeitos especiais, que estão muito fracos, eu particularmente não gosto nada dos filmes em que vemos literalmente a utilização do CGI e dos panos verdes, e neste é claramente isso que acontece.


Em suma este é um filme fraco e que não me vai deixar boas recordações. Se eu pudesse ter visto o meu futuro, jamais teria visto este filme. 


Nota: 3.5/10

Crítica por Paulo Saraiva

Sem comentários:

Enviar um comentário