terça-feira, 17 de abril de 2012

Crítica: Intouchables (2011)



FICHA TÉCNICA

Título Nacional:
Amigos Improváveis
País Origem: França
Género: Comédia / Drama
Duração: 112 minutos

Trailer









 
O sucesso alcançado pelo vencedor do último Óscar para melhor filme e também francês The Artist, veio tirar alguma visibilidade a esta pequena pérola que é Intouchables, uma comédia dramática que em nada lhe fica atrás em termos de qualidade, e que é já o segundo filme mais visto na história deste país. 

Em Intouchables, filme que se baseia numa história verídica, seguimos a história de Phillipe (Francois Cluzet) um milionário que fica tetraplégico após um acidente de parapente. Philipe procura um assistente para o ajudar nas tarefas básicas do dia-a-dia, e após dezenas de entrevistas a candidatos altamente qualificados que não o satisfazem minimamente, encontra em Driss (Omar Sy) um jovem ex-delinquente de origem africana, proveniente de um bairro social e sem qualquer tipo de qualificações, a solução ideal. 


É então que surge uma amizade improvável entre estes dois homens que à primeira vista aparentam ser tão diferentes, mas que no fundo tem mais parecenças do que imaginam, pois ambos são marginalizados pela sociedade devido às suas condições e ambos querem viver a vida ao máximo apesar das circunstâncias que os atingem. Phillipe consegue encontrar em Driss tudo aquilo que procurava, alguém que não sente pena dele e que o trate apenas como um inválido, mas alguém que o faça sentir o mais normal possível.

Toda a narrativa deste filme é construída em torno da relação que se cria entre as duas personagens principais. É nesta forte relação de amizade e cumplicidade entre Phillipe e Driss que reside o segredo e a magia deste filme, pois tanto Francois Cluzet como Omar Sy estão simplesmente fabulosos, e a cumplicidade entre ambos é visível a cada cena, a cada olhar, a cada troca de palavras. A prestação de Omar Sy foi de tal forma, que conseguiu “bater” Jean Dujardin, o protagonista de The Artist e vencedor do Óscar para melhor actor, na corrida ao César (maior prémio de França) para melhor interpretação masculina.


Intouchables tem uma mensagem tocante acerca da vida, mostra-nos que a mais bela das amizades surge de onde menos se espera e que não olha a dinheiro, nem ao status, nem à cor. Intouchables é uma história simples, inspiradora e que nos faz ter um olhar positivo sobre a vida e sobre as mais variadas circunstâncias que nos atingem, mas principalmente, tem o mérito de nos fazer sair da sala de cinema com um sorriso de esperança no rosto.


O Melhor - Francois Cluzet e Omar Sy estão geniais; o humor negro é usado com mestria e nunca peca por excessivo.

O Pior - A grande possibilidade de vir a passar despercebido à maioria dos espectadores portugueses.


Nota: 9/10

Crítica por Paulo Saraiva 

4 comentários:

  1. Ameii esse Filme!
    Pssa uma mensagem maravilhosa para as pessoas que são preconceituosas... A química entre os protagonistas é muito linda.. E como não rir com o magnifico sorriso de Omar Sy ou não se emocionar da forma que Francois Cluzet interpreta Phillipe.
    Pena mesmo é que vai passar desapercebido por muitos brasileiros e estrangeiros.

    ResponderEliminar
  2. Adorei o filme, também vi a reportagem sobre os verdadeiros protagonistas na vida real.
    É uma lição de vida e um exemplo a seguir.
    Linda

    ResponderEliminar
  3. onde viste essa reportagem? alguma coisa na net?

    ResponderEliminar
  4. Já vi o filme 2 vezes amei é uma lição de vida

    ResponderEliminar